Cerca de 100 servidores com cargo de gestão na primeira instância fazem curso de desenvolvimento em Campinas.

Servidores com cargo de gestão e que atuam nas varas do trabalho ou nos Centros Judiciários de Métodos Consensuais de Solução de Disputas da Justiça do Trabalho (Cejuscs-JT) da 15ª Região começaram nesta terça-feira, 21 de agosto, em Campinas, o Curso de Desenvolvimento de Gestores da Área Judicial de 1º Grau, promovido pela Escola Judicial (Ejud) do TRT-15. São cerca de 100 profissionais no grupo, que, no primeiro dia de aulas, tiveram como docente o juiz Carlos Henrique Borlido Haddad, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, sediado em Brasília.

Realizado no anfiteatro da Universidade Paulista (Unip), o evento contou, na abertura das atividades, com a presença do diretor da Ejud, desembargador Manoel Carlos Toledo Filho, que destacou a relevância do 1º grau de jurisdição. “A medida do atendimento prestado ao jurisdicionado na 1ª instância é que dá a ele a imagem da Justiça do Trabalho.”

Também participou da mesa de abertura a diretora da secretaria da 4ª Vara do Trabalho de São José do Rio Preto, Regina Mari Enomoto Tabarini, como representante dos servidores. “Com certeza teremos dias muito produtivos durante o curso”, sublinhou Regina.

Agentes da mudança

Juiz da Seção Judiciária da Justiça Federal de Minas Gerais, Carlos Henrique Borlido Haddad é mestre e doutor em Ciências Penais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com pós-doutorado pela Universidade de Michigan (EUA). Na UFMG, além de professor adjunto, é também diretor da Clínica de Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas. “É um privilégio lecionar num curso promovido no TRT da 15ª Região, que, mesmo com toda sua demanda, consegue fazer frente ao volume de trabalho que recebe. Não por acaso, o Conselho Nacional de Justiça tem reconhecido a produtividade e a eficiência do TRT-15″, enfatizou o magistrado, que atua ainda nas áreas de administração da Justiça, com enfoque em técnicas de aceleração processual e gestão de processos, e de formação de juízes, com certificação pela Escola Nacional da Magistratura Francesa.

“Os servidores gestores são agentes da mudança no Judiciário. Exercem um papel fundamental para que os juízes possam se dedicar mais à sua função primordial, que é julgar processos”, afirmou Haddad. Ao longo do dia, ele debateu com a turma temas como “Problemas na administração da Justiça”, “Implantação de um modelo de gestão” e “Eficiência e eficácia”.

Nesta quarta, 22, a programação tem início às 9 horas, com a juíza auxiliar da Corregedoria da 15ª Região Lúcia Zimmermann, que falará sobre “Gestão em parceria com os sistemas e suas potencialidades”. A magistrada também fará o encerramento das atividades, a partir das 17h20. Ao longo do dia, serão debatidos o PJe-Calc, sistema unificado de cálculos trabalhistas da Justiça do Trabalho, e sua versão off-line, o PJe-Calc Cidadão, desenvolvida para advogados, peritos e público externo em geral e que dispensa conexão com a internet. Também estão na pauta o Sistema de Gerenciamento de Informações Administrativas e Judiciárias da Justiça do Trabalho (e-Gestão) e o Sistema de Apoio Operacional ao Processo Judicial Eletrônico (SAO-PJe).

Outra turma de servidores fará o mesmo curso no dias 6 e 7 de novembro deste ano.

Fonte