Ao abrir os trabalhos, o desembargador Francisco Eduardo Loureiro agradeceu a presença de todos e falou do novo programa da plataforma Moodle para gestão de pessoas.

Na última terça-feira (18), no auditório da Escola Judicial dos Servidores (EJUS), aconteceu o lançamento da plataforma “Moodle TJSP”, voltada para a capacitação de funcionários. Em substituição ao projeto “Justiça Bandeirante”, o objetivo é manter uma formação contínua, para melhor prestação de serviços, por meio de duas etapas, uma online e outra presencial. Dois pilotos já foram realizados, um no mês de junho, voltado para a Infância e Juventude Infracional e, outro, em agosto, direcionado para a Execução Criminal. O primeiro contou com 789 servidores inscritos e o segundo, com 1.361 participantes.

No lançamento, além do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, compuseram a mesa o diretor da Escola Paulista da Magistratura (EPM), desembargador Francisco Eduardo Loureiro; as juízas assessoras da Presidência Tatiana Magosso e Ana Claudia Dabus Guimarães e Souza de Miguel (Recursos Humanos); o juiz diretor da 1ª Região Administrativa Judiciária da Capital (1ª RAJ), Regis de Castilho Barbosa Filho, e a secretária da Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP), Patrícia Maria Landi da Silva Bastos.

Além dos servidores, acompanharam o lançamento da plataforma, os juízes assessores da Presidência Leandro Galluzzi dos Santos (Gabinete Civil) e Maria Rita Rebello Pinho Dias (Tecnologia, Gestão e Contratos/TGC) e, via Lync, os juízes diretores das RAJs – Emerson Sumariva Júnior (2ª/Araçatuba), João Thomaz Diaz Parra (3ª/Bauru), Renato Siqueira De Pretto (4ª/Campinas), Antonio Roberto Sylla (5ª/Presidente Prudente), Paulo César Gentile (6ª/Ribeirão Preto), Joel Birello Mandelli (7ª/Santos), Evandro Pelarin (8ª/São José do Rio Preto), Erico Di Prospero Gentil Leite (9ª RAJ/São José dos Campos) e Hugo Leandro Maranzano (10ª/Sorocaba) – estes expondo a importância da implementação da nova ferramenta para as suas regiões.

Ao abrir os trabalhos, o desembargador Francisco Eduardo Loureiro agradeceu a presença de todos e falou do novo programa da plataforma Moodle para gestão de pessoas. “É uma ferramenta, que tem sido usada pela Escola Paulista de Magistratura (EPM), Escola Judiciária dos Servidores (EJUS) e Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP), poderosa na comunicação com magistrados e servidores, porque permite maior interação de todos que participam de cursos e atividades.”

Segundo o presidente Pereira Calças, “o TJSP é uma instituição que tem um conjunto de pessoas que se reúne em função de um ideal comum e que não mede esforços físicos, psicológicos e de labor para que um objetivo maior seja efetivamente atingido”. O desembargador lembra que o Tribunal tem, ao longo dos anos, investido em políticas públicas baseadas na educação corporativa. “A primeira delas foi a criação da EPM, a maior das Américas. Em seguida, veio a EJUS. Agora é a vez da montagem de um braço técnico informatizado, na área de capacitação da SGP, com foco no desenvolvimento de propostas e na parceria constante com as duas escolas.” O projeto ‘Moodle TJSP’ tem como proposta maior o trabalho de competências organizacionais de forma ágil, para que todos os servidores do Estado de São Paulo sejam atingidos pela nova capacitação. “Ele substituirá o projeto ‘Justiça Bandeirante’, de largo sucesso, que nos trouxe muitos resultados positivos. Preservando conquistas anteriores, avançamos. Essa é uma das bandeiras da nossa gestão: evoluir nas políticas públicas implementadas pelos gestores anteriores. Precisamos enaltecer o passado e fazer dele uma escada para seguirmos avante na subida pelos nossos ideais”, completou o presidente do TJSP.

Como será? – A principal mudança é que agora os servidores passam primeiro por um treinamento online de competência técnica para utilização do SAJ. Concluída essa primeira etapa, vem a do treinamento presencial na modalidade de estudo de caso, com utilização do SAJ e possibilidade didática e pragmática de esclarecer dúvidas com as equipes do Tribunal de Justiça. Nas palavras da secretária da SGP, Patrícia Landi, “o curso possibilita que a informação seja passada tanto por vídeos como por manuais, ficando o aprendizado a critério de cada um. Para que a gente possa ter uma prática consolidada, precisamos do conhecimento técnico, e é isso que a plataforma Moodle nos fornece. Pelos primeiros usuários, verificamos que os servidores estão buscando conhecimento inclusive fora do horário de trabalho e essa também é uma das facilidades da plataforma. No entanto, é necessário ter disciplina para completar todas as etapas, é preciso envolvimento daquele que quer obter o conhecimento para que, com isso, possa desenvolver o próprio trabalho com mais qualidade”, explicou.

Ao encerrar o lançamento da plataforma Moodle, o presidente do TJSP disse sentir muito orgulho de todos os servidores. “Em nome da Presidência, gostaria que os diretores das RAJs transmitissem o agradecimento pelo emprenho, pela dedicação e pelo comprometimento aos funcionários, que são fundamentais para que o Tribunal consiga evoluir e atinja o seu escopo maior, que é a prestação jurisdicional eficiente, ao mesmo tempo em que, internamente, criamos um bom ambiente de trabalho, do qual todos se sintam orgulhosos e felizes”, finalizou.

Fonte