Advogado não tem adicional de periculosidade

Um advogado da Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimentel (Funap) recorreu, em vão, à Justiça do Trabalho para receber o adicional de periculosidade que é pago aos funcionários e servidores do estado de São Paulo que, como ele, atuam em estabelecimentos prisionais. O benefício que havia sido deferido na instância regional, foi retirado pela 5ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho.

Em 2005, o advogado ajuizou reclamação trabalhista pedindo o adicional de periculosidade, entendendo que tinha direito ao benefício, porque desde a sua contratação, ocorrida em meados de 2000, vinha trabalhando em presídios do estado, prestando assistência judiciária gratuita aos presos…

Continue Lendo: Advogado não tem adicional de periculosidade

Tags:

Esta entrada foi postada em quarta-feira, 08 setembro, 2010 as 15:13 e está arquivada em Informações Jurídicas. Você pode acompanhar quaisquer respostas a está entrada através do RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta, ou trackback a partir do seu próprio site.